quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Exorcismo Romano - Oração do Papa Leão XIII, rezada ao final da Santa Missa até o Concílio Vaticano II


EXORCISMUS IN SATANAM ET ANGELOS APOSTATICOS IUSSU LEONIS XIII


In nomine Patris, et Filii, et Spiritus Sancti. Amen.


Ps. LXVII

Exurgat Deus et dissipentur inimici eius: et fugiant qui

oderunt eum a facie eius.

Sicut deficit fumus, deficiant; sicut fluit cera a facie ignis,

sic pereant peccatores a facie Dei.


Ps. XXXIV

Iudica, Domine, nocentes me; expugna impugnantes me.

Confundantur et revereantur quaerentes animam meam.

Avertantur retrorsum, et confundantur cogitantes mihi mala.

Fiat tamquam pulvis ante faciem venti: et angelus Domini

coarctans eos. Fiat via illorum tenebrae, et lubricum:

et angelus Domini persequens eos.

Quoniam gratis absconderunt mihi interitum laquei sui:

superficiem exprobraverunt animam meam.

Veniat illi laqueus quem ignorat; et captio quam abscondit,

apprehendat eum: et in laqueum cadat in ipsum.

Anima autem mea exsultabit in Domino:

et delectabitur super salutari suo.

Gloria Patri, et Filio, et Spiritui Sancto:

Sicut erat in principio, et nunc, et semper, et in saecula saeculorum.

Amen.


AD S. MICHAELEM ARCHANGELUM


PRECATIO


Princeps gloriosissime caelestis militiae, sancte Michael Archangeli defende nos

in praelio et colluctatione, quae nobis est

adversus principes et potestates, adversus mundi rectores tenebrarum

harum, contra spiritualia nequitiae, in caelestibus

(Ephes. VI). Veni in auxilium hominum; quos Deus creavit

inexterminabiles, et ad imaginem similitudinis suae fecit, et a

tyrannide diaboli emit pretio magno (Sap. 2,23; I Cor. VI). Praeliare

hodie cum beatorum Angelorum exercitu praelia Domini,

sicut pugnasti olim contra ducem superbiae luciferum,

et angelos eius apostaticos: et non voluerant, neque locus inventus

est eorum amplius incóelo. Sed proiectus est draco ille magnus,

serpens antiquus, qui vocatur diabolus et satanas, qui seducit

universum orbem; et proiectus est in terram, et angeli eius

cum illo missi sunt (Apoc. XII). En antiquus inimicus et homicida

vehementer erectus est. Transfiguratus in angelum lucis,

cum tota malignorum spirituum caterva late circuit et invadit

terram, ut in ea deleat nomen Dei et Christi eius, animasque

ad aeternae gloriae coronam destinatas furetur, mactet ac perdat

in sempiternum interitum. Virus nequitiae suae, tamquam

flumen immund issi mum, draco maleficus transtuli dit in homines

depravatus mente et corruptos corde; spiritum mendacii,

impietatis et blasphemiae; halitumque mortiferum luxuriae,

vitiorum omnium et iniquitatum.

Ecclesiam, Agni immaculati sponsam, vaferrimihostes repleverunt

amaritudinibus, inebriarunt absinthio;

ad omnia desiderabilia eius impias miserunt manus.

Ubi sedes beatissimi Petri et Cathedra veritatis

ad lucem gentium constituta est,

ibithronum posuerunt abominationis impietatis suae;

ut percusso Pastore, et gregem disperdere valeant.

Adesto itaque, Dux invictissime, populo Dei contra irrumpentes

spirituales nequitias, et fac victoriam.

Te custodem et patronum sancta veneratur Ecclesia;

te gloriatur defensore adversus

terrestrium et infernorum nefarias potestates;

tibi tradidit Dominus animas redemptorum in superna felicitate locandas.

Deprecare Deum pacis, ut conterat satanam sub pedibus nostris,

ne ultra valeat captivos tenere homines, et Ecclesiae nocere.

Offer nostras preces in conspectu Altissimi, ut cito anticipent

nos misericordiae Domini, et appréhendas draconem, serpentem

antiquum, qui est diabolus et satanas, ac ligatum mittas in abyssum,

ut non seducat amplius gentes (Apoc. XX).

Hinc tuo confisi praesidio ac tutela, sacri ministerii nostri

auctoritate, ad infestationes diabolicae fraudis impellendas in nomine

Iesu Christi Dei et Domini nostri fidentes et securi aggredimur.


* Ecce Crucem Domini, fugite partes adversae.

§. Vicit Leo de tribu Iuda, radix David.

* Fiat misericordia tua, Domine, super nos.

§. Quemadmodum speravimus in te.

* Domine, exaudi orationem meam.

§. Et clamor meus ad te veniat.

* Dominus vobiscum.

§. Et cum spiritu tuo.


OREMUS


Deus, et Pater Domini Nostri Iesu Christi, invocamus nomen

sanctum tuum, et clementiam tuam supplices exposcimus ut, per

intercessionem immaculatae semper virginis Dei genitricis Mariae,

beati Michaelis Archangeli, beati Ioseph eiusdem beatae Virginis

Sponsi, beatorum Apostolorum Petri et Pauli et omnium

Sanctorum, adversus satanam, omnesque alios immundos spiritus,

qui ad nocendum humano generi animasque perdendas

pervagantur in mundo, nobis auxilium praestare digneris. Per

eumdem Christum Dominum Nostrum. Amen.


EXORCISMUS

Exorcizamus te, omnis immundus spiritus, omnis satanica

potestas, omnis incursio infernalis adversarii, omnis legio, omnis

congregatio et secta diabolica, in nomine et virtute Domini Nostri Iesu Christi,

eradicare et effugare a Dei Ecclesia, ab animabus

ad imaginem Dei conditis ac pretioso divini Agni sanguine

redemptis.

Non ultra audeas, serpens callidissime, decipere

humanum genus, Dei Ecclesiam persequi, ac Dei electos

excutere et cribrare sicut triticum . Imperat tibi Deus altissimus

cui in magna tua superbia te similem haberi adhuc

praesumas; qui omnes homines vult salvos fieri, et ad agnitionem

veritatis venire (I Tim. 2,4). Imperat tibi Deus Pater ; imperat

tibi Deus Filius ; imperat tibi Deus Spiritus Sanctus .

Imperat tibi maiestas Christi, aternum Dei Verbum, caro factum

qui pro salute generis nostri tua invidia perditi, humiliavit

semetipsum factus obediens usque cui mortem (Phi. 2,8); qui

Ecclesiam suam aedificavit supra firmam petram, et portas inferi

adversus eam nunquam esse praevalituras edixit, cum ea

ipse permansurus omnibus diebus usque ad consummationem

saeculi (Matth, XXVIII, 20). Imperat tibi sacramentum Crucis ,

omniumque christianae fidei Mysteriorum virtus . Imperat tibi

excelsa Dei Genitrix Virgo Maria quae superbissimum caput

tuum a primo instanti immaculatae suae conceptionis in sua

humilitate contrivit. Imperat tibi fides sanctorum Apostolorum

Petri et Pauli, et ceterorum Apostolorum . Imperat tibi Martyrum sanguis ,

ac pia Sanctorum et Sanctarum omnium intercessi.

Ergo, draco maledicte et omnis legio diabolica, adiuramus

te per Deum vivum, per Deum verum, per Deum sanctum,

per Deum qui sic... dilexit mundum, ut Filium suum unigenitum

daret, ut omnes qui credit in eum non pereat, sed habeat

vitam aeternam: cessa decipere humanas creaturas,

eisque aeternae perditionis venenum propinare: desine Ecclesiae

nocere, et eius libertati laqueos iniicere. Vade, satana,

inventor et magister omnis fallaciae, hostis humanae salutis. Da

locum Christo, in quo nihil invenisti de operibus tuis; da locum

Ecclesiae uni, sanctae, catholicae, et Apostolicae, quam Christus

ipse acquisivit sanguine suo. Humiliare sub potenti manu Dei;

contremisce et effuge, invocato a nobis sancto et terribili nomine

Iesu, quem inferi tremunt, cui Virtutes caelorum et Potestates

et Dominationes subiectae sunt; quem Cherubim et Seraphim

indefessis vocibus laudant, dicentes: Sanctus, Sanctus, Sanctus

Dominus Deus Sabaoth.


* Domine, exaudi orationem meam.

§. Et clamor meus ad te veniat.

* Dominus vobiscum.

§. Et cum spiritu tuo.


OREMUS


Deus coeli, Deus terrae, Deus Angelorum, Deus Archangelorum,

Deus Patriarcharum, Deus Prophetarum, Deus Apostolorum,

Deus Martyrum, Deus Confessorum, Deus Virginum, Deus

qui potestatem habes donare vitam post mortem, requiem post

laborem; quia non est Deus praeter te, necesse potest nisi tu

creator omnium visibilium et invisibilium, cuius regni non erit

finis: humiliter maiestati gloriae tuae supplicamus, ut ab omni

infernalium spirituum potestate, laqueo, deceptione et nequitia

nos potenter liberare, et incolumes custodire digneris.

Per Christum Dominum Nostrum. Amen.


Ab insidiis diaboli, libera nos, Domine.

Ut Ecclesiam tuam secura tibi facias libertate servire;

Te rogamus, audi nos.

Ut inimicos sanctae Ecclesiae humiliare digneris;

Te rogamus, audi nos.


(Et aspergatvir locus aqua benedicta.)



segunda-feira, 9 de maio de 2011

Papa defende reforma litúrgica realizada pelo Vaticano II






CIDADE DO VATICANO, sexta-feira, 6 de maio de 2011 (ZENIT.org) - A liturgia da Igreja “vive de uma relação correta e consistente entre a sã traditio e a legítima progressio”, e, neste sentido, a reforma litúrgica realizada pelo Concílio Vaticano II não se contrapõe à tradição anterior.

Foi o que esclareceu o Papa Bento XVI, ao receber hoje em audiência os membros do Pontifício Instituto Litúrgico S. Anselmo, instituição criada por João XXIII há 50 anos como centro de estudos e pesquisa “para garantir uma sólida base para a reforma litúrgica conciliar”.

No seu discurso, o Papa referiu-se à reforma realizada pelo Concílio, recordando que "existe um vínculo estreito e orgânico entre a renovação da Liturgia e a renovação de toda a vida da Igreja”.

“A Liturgia da Igreja vai além da própria ‘reforma conciliar’, cujo objetivo, de fato, não era principalmente o de mudar os ritos e gestos, mas sim renovar as mentalidades e colocar no centro da vida cristã e da pastoral a celebração do mistério pascal de Cristo”.

“Infelizmente, talvez, também pelos pastores e especialistas, a liturgia foi tomada mais como um objeto a reformar que como um sujeito capaz de renovar a vida cristã”, reconheceu.

Neste sentido, admitiu que às vésperas do Concílio, “de fato, parecia cada vez mais viva, no campo da liturgia, a urgência de uma reforma, postulada também pelas petições realizadas por diversos episcopados”.

Por outro lado – acrescentou – “a forte demanda pastoral que motivava o movimento litúrgico requeria que se favorecesse e suscitasse uma participação ativa dos fiéis nas celebrações litúrgicas, através do uso de línguas nacionais, e que se aprofundasse na questão da adaptação dos ritos às diversas culturas, especialmente em terra de missão”.

Ademais, “mostrou-se clara desde o início a necessidade de um estudo mais aprofundado do fundamento teológico da Liturgia, para evitar cair no ritualismo ou promover o subjetivismo, o protagonismo do celebrante”.

Outra das necessidades foi “que a reforma estivesse bem justificada no âmbito da Revelação e em continuidade com a tradição da Igreja”.

Este é o motivo pelo qual João XXIII instituiu o Pontifício Instituto Litúrgico S. Anselmo – acrescentou. O Papa recordou o trabalho de “pioneiros” como Cipriano Vagaggini, Adrien Nocent, Salvatore Marsili e Burkhard Neunheuser.

Ambos termos, “tradição” e “legítimo progresso”, explicou, foram utilizados pelos Padres conciliares para estabelecer “seu programa de reforma, em equilíbrio com a grande tradição litúrgica do passado e do futuro”.

“Não raro, contrapõe-se, de maneira desajeitada, tradição e progresso. Na verdade, os dois conceitos estão integrados: tradição é uma realidade viva, que por isso inclui em si o princípio do desenvolvimento, do progresso”, afirmou o Papa.

Por último, o Papa quis sublinhar “duplo caráter teológico e eclesiológico da liturgia. A celebração realiza, ao mesmo tempo, uma epifania do Senhor e uma epifania da Igreja, duas dimensões que se conjugam em unidade na assembleia litúrgica”.

“Na ação litúrgica da Igreja, subsiste a presença ativa de Cristo: o que realizou em seu caminho entre os homens, Ele continua tornando operante através de sua ação pessoal sacramental, cujo centro é a Eucaristia.”

“A liturgia cristã é a liturgia da promessa realizada em Cristo, mas também é a liturgia da esperança, da peregrinação rumo à transformação do mundo, que acontecerá quando Deus for tudo em todos”, concluiu o Papa.

--- --- ---

Na internet, íntegra do discurso: http://www.zenit.org/article-27895?l=portuguese

terça-feira, 15 de março de 2011

Papa: "Todo católico precisa ser um promotor vocacional"


CIDADE DO VATICANO, 10 de fevereiro (CNA/EWTN News) A vitalidade da Igreja depende de os católicos promoverem as vocações individuais em suas casas e paróquias, disse o Papa em sua mensagem anual para o 15 de maio, Dia Mundial de Oração pelas Vocações.

"É essencial que cada Igreja local se torne mais sensível e atento à pastoral das vocações", escreve o Papa na sua nova declaração emitida pelo Vaticano em 10 de fevereiro.

Ele fala do papel da Igreja em ajudar as crianças e os jovens a crescer em uma verdadeira amizade com Jesus, para aumentar sua familiaridade com as Escrituras, compreender a verdade de sua mensagem e ser generoso em criar relacionamentos com outros.

O tema de oração deste ano para o dia das vocações é "Propondo vocações na Igreja local." O Papa diz que isso "significa ter a coragem de, por meio de uma preocupação atenta e adequada para as vocações, apontar essa forma desafiadora do seguimento de Cristo que, por ser tão rica de significado, é capaz de envolver toda a sua vida."

Atender ao chamado de Jesus de "Siga-me!" "não é menos desafiador" hoje do que foi para os discípulos de 2.000 anos atrás, disse o Papa.

"Isso significa aprender a manter o olhar fixo em Jesus, crescendo próximo a ele, ouvindo a sua palavra e encontrá-lo nos sacramentos" e "aprender a conformar a nossa vontade à dele."

A Igreja é chamada a proteger e amar o dom do chamado de Deus para as pessoas a participar na sua missão e servir como ministros ordenados e consagrados, disse ele.

"Especialmente nestes tempos, quando a voz do Senhor parece ser afogada por outras vozes e seu convite a segui-lo pelo dom da própria vida pode parecer muito difícil, cada comunidade cristã, cada membro da Igreja, precisa conscientemente se sentir responsável pela promoção das vocações".

De acordo com um relatório dos bispos dos EUA, existem atualmente 5.131 homens inscritos nos seminários dos EUA. O número subiu de 4.973 em 2009.

O Papa exorta os fiéis a aproveitar todas as oportunidades para desenvolver as vocações. "Cada momento" na Igreja de vida da comunidade desde a catequese à oração e as peregrinações podem ser "uma preciosa oportunidade para despertar no povo de Deus ... um sentimento de pertença à Igreja e da responsabilidade de atender ao chamado ao sacerdócio e à vida religiosa por uma decisão livre e informada", diz ele.

"A capacidade de fomentar as vocações", conclui o Papa, "é uma marca registrada da vitalidade de uma Igreja local".
Fonte: http://romancatholicvocations.blogspot.com. Tradução livre.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Abusos litúrgicos enfraquecem a fé

Recebi este e-mail que agora posto, sobre a opinião de cardeais a respeito do tema, tratando também do livro recém-lançado "Come andare a Messa e non perdere la fede" (Como ir a Missa e não perder a fé), de dom Nicola Bux. Segue o texto:


"Um enfraquecimento da fé em Deus, um aumento no egoísmo e uma queda no número de pessoas que vão à Missa podem ser rastreados até abusos litúrgicos ou Missas que não são reverentes. É o que dizem dois cardeais e um consultor do Vaticano.

O Cardeal americano Raymond Burke, chefe da suprema corte do Vaticano disse: “se cometemos o erro de pensar que somos o centro da Liturgia, a Missa levará a uma perda de fé”.

O Cardeal Burke e o espanhol Cardeal Antonio Cañizares Llovera, prefeito da Congregação para o Culto Divino e os Sacramentos, falaram ontem (2-mar-2011) no lançamento de um livro em Roma.

O livro, publicado apenas em Italiano, foi escrito pelo Pe. Nicola Bux, que trabalha como consultor para as congregações para a doutrina da fé e para a causa dos santos e para o escritório responsável pelas liturgias papais. A tradução do título do livro do Pe. Bux para o português seria “Como Ir à Missa e Não Perder Sua Fé”.

O Cardeal Burke disse aos presentes no lançamento do livro que concorda com o Pe. Bux quando este diz que “abusos litúrgicos trazem sérios danos à fé dos católicos”. Infelizmente, disse ele, muitos padres e bispos tratam violações de normas litúrgicas como algo não importante quando, de fato, são “abusos sérios”.

O Cardeal Cañizares disse que ainda que o título do livro seja provocativo, demonstra algo em que ele mesmo acredita. “A participação na Eucaristia pode nos enfraquecer ou fazer com que percamos nossa fé se não entrarmos nela corretamente,” e se a Liturgia não é celebrada de acordo com as normas, disse ele. “Isso vale tanto para a forma Ordinária como para a forma Extraordinária do mesmo rito Romano,” disse o cardeal.

O Cardeal Cañizares disse que num tempo onde tantos vivem como se Deus não existisse, as pessoas precisam de uma verdadeira celebração Eucarística para lembrá-las de que somente Deus deve ser adorado e de que o verdadeiro significado da vida humana vem apenas do fato de que Jesus deu Sua vida para salvar o mundo. Pe. Bux disse que muitos católicos modernos pensam que a Missa é realizada pelo padre e pela assembleia quando, de fato, é Jesus que a realiza.

“Se você vai à Missa em um lugar e depois em outro, não encontrará a mesma Missa. Isso significa que aquela não é a Missa da Igreja Católica, a que o povo tem direito, mas apenas a Missa dessa paróquia ou daquele padre,” disse ele."